sexta-feira, 21 de março de 2014

A PRISÃO, Jesus Zaráte



Não há muitas obras com a genialidade, completude, fluidez e acutilância como esta. É um romance publicado na Colômbia em 1972. Obra filosófica, a qual habitualmente designamos de absorvente. A prisão esperou trinta anos para ser traduzido em várias línguas. Na mesma cela Braúlio, David e Tudela partilham com a personagem-autor, Ánton Castán, o isolamento físico e a liberdade de pensamento onde o único inocente acaba por cometer um crime maior do que o dos companheiros. Fala de nós, humanos aprisionados, e que graças a obras como esta por momentos escapamos à prisão em que vivemos.