sexta-feira, 30 de maio de 2014

Refugiados até ao jantar

Todos mentimos, todos somos aldrabões. Somos refugiados de alma e de emoções.

São modas e rodas e estacas com pontas, as emoções.
São frágeis e brutais e grandes demais para encher balões.
Algumas sussurram e outras nem dizem um som.
Porque às vezes o mau, também é bom.
Aquelas nunca decifradas ficarão desvairadas.
Parece que as palavras não são baratas…
E se em vez do corpo só tivéssemos emoções?
Muitos seriam luz e muitos seriam negrões.
E se não nos pudéssemos tocar?
Não nos tocávamos.
Nada fazíamos.
Só pensávamos.
E se assim fosse até o mundo acabar?
Que acabasse o mundo.

                               Mas não antes do jantar. 


Inês Silva

sexta-feira, 9 de maio de 2014

>>>Piódão, uma marca da nossa história

Há lugares que nos cativam e ficam guardados na nossa memória como pedacinhos de vida boa que não queremos largar jamais. O Piódão é a mais típica aldeia de Portugal. Conhecida como aldeia presépio, está situada na encosta da Serra do Açor, sendo a mais longínqua freguesia do concelho de Arganil. Povoação rural mas acolhedora, de características particularmente tradicionais que vão desde a gastronomia à arquitetura das habitações, está rodeada de magníficas paisagens naturais. Poderemos pensar que o Piódão é um lugar no Paraíso? O silêncio apaziguador das suas calçadas e paredes de xisto e lousa que tão bem “casam” com os tons verdes da floresta, o canto dos pássaros, a música do ribeiro cantante e dos riachos e quedas de água cristalina, oferta-nos belas e graciosas sensações. Ideal para passar um fim de semana em plena comunhão com a natureza. Já visitaste?







terça-feira, 29 de abril de 2014

À Última Ceia

que se descubra a vinha
e os morangos além
encontrem a mão
ao serviço do mar
pela casa, até de manhã
porque a pele dos teus olhos
decide a via láctea, logo, à vista
e se os mares avançam onde vais
que a primavera ceda o principio
e esse empecilho finalmente
se finde  na  música
acima de nós

e neste silencio,  integral,  oferto estas rosas
biológicas, de braço dado, e longe do poder
esta cerâmica, ao sul

quarta-feira, 23 de abril de 2014

23 de abril ...dia mundial do livro...



 










A Unesco criou a data “Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor” para encorajar as pessoas, especialmente os jovens, a descobrirem os prazeres da leitura e a ganharem um novo respeito pela tremenda contribuição dos autores de livros através dos séculos.
Uma tradição catalã ligada aos livros já existia no dia 23 de abril e parece ter influenciado a escolha da Unesco. Na tradição catalã, no dia de São Jorge (23 de abril), é costume dar uma rosa para quem comprar um livro. Trocar flores por livros já se tornou tradição noutros países.
A Unesco escolheu a data em 1995, em Paris e ela foi escolhida também por ser a data da morte de três grandes escritores da história: William Shakespeare, Miguel de Cervantes, e Inca Garcilaso de la Vega. 23 de abril é também a data de nascimento ou morte de outros autores famosos, como Maurice Druon, Haldor K.Laxness, Vladimir Nabokov, Josep Pla e Manuel Mejía Vallejo.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

>>>Júlio Resende

“Vamos pintar a manta”, pode ler-se no sítio online da Fundação Júlio Resende, sediada no Lugar do Desenho, em Valbom, Gondomar.

Júlio Resende (1917 – 2011) foi um pintor essencialmente expressionista que trouxe à pintura um novo espírito, uma nova atmosfera poética, plena de humanidades e lirismo. Falar da sua obra é como viajar entre um raio de sol próximo do povo e o lirismo de um artista de alma contagiante que nos conquista e cativa pela sua fascinante natureza humana, podemos sentir o calor humano que emana da sua obra.

Falar de Júlio Resende ou conhecer os seus trabalhos, é partir à descoberta numa viagem apelativa que, recomendo. 

Painel de azulejos Ribeira Negra 



Uma Casa em Korntal


quarta-feira, 16 de abril de 2014

Coleção "Livros Proibidos" do jornal O Público

 
O jornal O Público está a lançar, todas as quintas-feiras, um livro censurado pelo Estado Novo, acompanhados pelos relatórios oficiais da censura.
Não percas a oportunidade!
 
 
 
 
 
 
 

terça-feira, 8 de abril de 2014

>>>Livros

“Estás a pensar em quê, querida?” é um excerto de “Histórias de Amor”, um livro de José Cardoso Pires, editado pela editorial Gleba em 1952, numa edição de bolso intitulada “As Três Abelhas”, apreendido pela censura um mês após a sua publicação, e reeditado integralmente em 2008 pelas edições Nelson de Matos. “Histórias de amor” é um livro de contos, escrito numa linguagem fluente, sem aforismos de qualquer espécie, envolvente, levantando o véu onde retratos, à época considerados ousados, transparecem. Um livro apelativo, de apuradas atmosferas visuais. Recomendo.
Capa original da edição apreendida
pela censura em 1952

>>>30º Festival de Teatro Amador de Valbom

De 05-04-2014 a 07-06-2014

na sala Gil Vicente da Escola Dramática e Musical Valboense

 

ABRIL
5 De Abril
Contacto (Companhia de Teatro Água Corrente de Ovar)
Gato por lebre de Georges Feydeau
Encenação de Manuel Ramos Costa

12 De Abril
Grupo Dramático Beneficente de Rio Tinto
Mãos à obra Porto, Revista à portuguesa de Lopes de Almeida
Encenação de Francisco Nogueira

19 De Abril
Associação Recreativa de Perosinho
Quando os bonecos ganham vida de Elisa Costa e José Custódio
Encenação de José Custódio

26 De Abril
Grupo de teatro A Teia (Tondela)
FUGA de Jordi Galcerin
Encenação de Pompéu José

MAIO
3 De Maio
Grupo Teatral Freamundense (Gandarela)
Opereta da Autoria e encenação de Fernando Santos

 






















10 De Maio
Grupo Dramático de Vilar do Paraíso
Crimes Exemplares de Max Aub
Encenação de Hugo Cardoso

17 De Maio
Grupo de Teatro do Sporting Club Candalense
Rolha no Trazeiro, Revista à portuguesa
Autoria e encenação de Francisco Silva

24 De Maio
Os Plebéus Avintenses
O destino morreu de repente de Alves Redol 
Encenação de Eduardo Freitas

31 De Maio
Companhia Teatral de Ramalde
Metáforas
Encenação e adaptação teatral de Alfredo Correia

JUNHO
7 De Junho
Grupo de Teatro da Escola Dramática e Musical Valboense
Os Emigrantes de Slaworir Mrojek – Versão de João Lourenço
Encenação de João Ribeiro

 

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Craig Tracy: "O corpo humano como uma tela"

Craig Tracy é um artista profissional em bodypainting.
Este artista norte-americano é um dos expoentes mundiais da pintura corporal, sendo especialista em criar obras de arte no corpo das suas modelos. Craig, com frequência, explora ilusões visuais nos seus trabalhos, fazendo o corpo desaparecer enquanto dá suporte a cenas diversas.
Para Craig Tracy o corpo humano é uma tela em branco. Cada um vai, aos poucos, escrevendo nele a sua própria história.
Uma das obras deste artista que eu mais gostei foi " Salvation" :



E tu, qual a pintura que mais aprecias?

Saber mais: aqui!